Tiago 1.9-11

Crer e Observar - Carta de Tiago

TIAGO 1.9-11 "O irmão, porém, de condição humilde glorie-se na sua dignidade, e o rico, na sua insignificância, porque ele passará como a flor da erva. Porque o sol se levanta com seu ardente calor, e a erva seca, e a sua flor cai, e desaparece a formosura do seu aspecto; assim também se murchará o rico em seus caminhos."

Devemos glorificar a Deus seja qual for a nossa condição!

Basicamente, a população se divide entre pobres e ricos. Não precisamos pensar nas variações de classes nesse momento. A questão básica é que existe a maioria de pobres e a minoria de ricos. Mas, do Senhor é a terra e a sua plenitude, o mundo e os que nele habitam (Sl 24.1). Tiago se dirige aqui aos pobres e alguns ricos que faziam parte das igrejas espalhadas fora da Palestina. Estavam todos eles debaixo de muitas aflições e começavam a ter dificuldades com a prática da fé cristã (v9).

A perda da piedade, ou espiritualidade, como se apelidou em nossos dias, corresponde à falta de foco em Cristo, nosso padrão de vida; devemos ser imitadores dele. Os pobres esqueceram que Cristo veio ao mundo em pobreza para salva-los e viver para a glória de seu Pai. Ao invés disso, esses irmãos estavam ressentidos de sua condição humilde; sentido inveja, muitas vezes. Em outros momentos essas tentações dos pobres, em meio as aflições, rompia a comunhão do Corpo (v9).

Não obstante, os irmãos ricos, na perda de foco em Cristo, nosso padrão e modelo, esqueciam que nosso Senhor era o Rei majestoso, rico em glória e honra, mas vestido de humildade. Em suas tentações, mediante as adversidades que estavam passando, alguns ricos maltratavam os pobres por causa do seu orgulho, avareza e altivez. Da mesma forma que alguns deles empobreceram, outros emergiram e em meio à falta de sabedoria, não estavam perseverando (v10).

Para os crentes em Cristo é fato que Deus é Soberano. Ele governa reinos inteiros, mas também é Senhor da vida de cada indivíduo. Ele os criou; uns para desonra, outros para sua Glória. Somos todos, ricos e pobres, pequenos diante desse Deus; todos igualmente estamos em suas mãos. (v11). Desse modo, o pobre glorie-se na sua dignidade e o rico na sua insignificância, pois o fim principal que temos é glorificar a Deus e desfruta-lo para sempre (BCW P1).

Rev. Emerson Silva.

Nenhum comentário: